Dicas para falar sobre drogas com seu filho

Fale com ele à medida que vai crescendo, da pré-escola à universidade.

  1. Crie um clima no qual seu filho sinta-se confortável. Seus sinais não verbais levarão mensagens para ele, assim considere a posição de sua cadeira, o tom de sua voz, a direção de seu olhar e as expressões faciais.
  2. Dê a seu filho uma oportunidade para falar. Pare de falar e conceda a ele tempo suficiente para que pense e processe o que está sendo dito demonstre interesse através de perguntas apropriadas. Questionamentos podem ajudar a esclarecer os pensamentos e sugestões de seu filho. Tenha certeza de que você está entendendo corretamente o que está sendo dito.
  3. Escute a mensagem completa. Entenda totalmente a mensagem antes de formar uma resposta.
  4. Encoraje seu filho a falar. Use estratégias para "abrir as portas" ("Você parece distraído hoje..." ou "Diga-me que está havendo...") que convidem a uma resposta.
  5. Enfoque o conteúdo, não se distraia. Evite ser perturbado por uma gramática pobre ou maneiras diferentes. O importante é o que está sendo dito.
  6. Fique atento nas idéias principais. Tente selecionar o tema central da conversa.
  7. Proceda firmemente, com linguagem carregada de convicção. Abandone palavras ou frases que produzam ansiedade ou desencadeiem emoções.
  8. Identifique áreas de experiência comum e afinidades. Comente experiências similares de você mesmo ou manifeste um ponto de vista em que fique claro o seu entendimento e compreensão.
  9. Lute efetivamente com tudo o que o impede de ter uma conversa com seu filho. Remova seus bloqueios pessoais, seus paradigmas, que irão prejudicar a forma como você ira escutar o que o seu filho estará dizendo.
  10. Finalmente, acredite em seu filho, informe-o e constitua com ele uma forte parceria baseada na confiança mútua e no respeito à vida.

É curioso, mas são dicas que merecem ser experimentadas. 


Fonte: RH Informativo, 145: 4,2001.
Profª. Eli Sinnott Silva