Quais os tipos de drogas que existem e que efeitos elas provocam?

As drogas atuam no cérebro afetando a atividade mental, sendo por essa razão denominadas psicoativas. Basicamente, elas são de três tipos:

  1. drogas que diminuem a atividade mental – também chamadas de depressoras. Afetam o cérebro, fazendo com que funcione de forma mais lenta. Essas drogas diminuem a atenção, a concentração, a tensão emocional e a capacidade intelectual. Exemplos: ansiolíticos (tranqüilizantes), álcool, inalantes (cola) , narcóticos (morfina, heroína);
  2. drogas que aumentam a atividade mental – são chamadas de estimulantes. Afetam o cérebro, fazendo com que funcione de forma mais acelerada. Exemplos: cafeína, tabaco, anfetamina, cocaína, crack; e
  3. drogas que alteram a percepção – são chamadas de substâncias alucinógenas e provocam distúrbios no funcionamento do cérebro, fazendo com que ele passe a trabalhar de forma desordenada, numa espécie de delírio. Exemplos: LSD, ecstasy, maconha e outras substâncias derivadas de plantas.

As drogas e seus efeitos

Drogas que diminuem a atividade mental

Substância

Origem

Conhecidas como

Possíveis efeitos

Possíveis conseqüências
Ansiolíticos
ou tranqüilizantes
Substâncias sintéticas
produzidas em laboratório.
Sedativos, calmantes.

Valium, Lexotan, Diazepan,Dienpax,
Librium,Lorax,
Rohypnol,
Dalmadorm.

Alívio da tensão e da ansiedade, relaxamento muscular, sonolência, fala pastosa, descoordenação dos movimentos, falta de ar. Em altas doses podem causar queda da pressão arterial.

Quando usadas com álcool, aumentam os seus efeitos, podendo levar a estado de coma.

Em grávidas podem causar mal formação fetal.

Álcool etílico Obtido a partir de cana-de-açúcar, cereais ou frutas, através de um
processo de fermentação
ou destilação.
Álcool, "birita", "mé", "mel", "pinga", "cerva". Em pequenas doses: desinibição, euforia, perda da capacidade crítica;

Em doses maiores: sensação de anestesia, sonolência, sedação.

O uso excessivo pode provocar náuseas, vômitos, tremores, suor abundante, dor de cabeça, tontura, liberação da agressividade, diminuição da atenção, da capacidade de concentração, bem como dos reflexos, o que aumenta o risco de acidentes.

O uso prolongado pode ocasionar doenças graves como, por exemplo, cirrose no fígado e atrofia (diminuição) cerebral.

Inalantes ou solventes Substâncias químicas. Cola de sapateiro, esmalte, benzina, lança-perfume, "loló", gasolina, acetona, éter, tíner, aguarrás e tintas. Euforia, sonolência, diminuição da fome, alucinações.

Tosse, coriza, náuseas e vômitos, dores musculares. Visão dupla, fala enrolada, movimentos desordenados e confusão mental.

Em altas doses, pode haver queda da pressão arterial, diminuição da respiração e dos batimentos do coração, podendo levar à morte.

O uso continuado pode causar problemas nos rins e destruição dos neurônios (células do sistema nervoso), podendo levar à atrofia cerebral.

O uso prolongado está freqüentemente associado a tentativas de suicídio.

Narcóticos (ópio e seus derivados: heroína, morfina e codeína ) Extraídos da papoula ou produtos sintéticos obtidos em laboratório. Heroína, morfina e codeína (xaropes de tosse, Belacodid, Tylex,

Elixir paregórico, Algafan

Elixir paregórico, Algafan).

Dolantina, Meperidina e Demerol.

Sonolência, estado de torpor, alívio da dor, sedativo da tosse.

Sensação de leveza e prazer. Pupilas contraídas.

Pode haver queda da pressão arterial, diminuição da respiração e dos batimentos do coração, podendo levar à morte.

Na abstinência (interrupção do uso): bocejos, lacrimejamento, coriza, suor abundante, dores musculares e abdominais. Febre, pupilas dilatadas e pressão arterial alta.

Drogas que aumentam a atividade mental

Substância

Origem

Conhecidas como

Possíveis efeitos

Possíveis conseqüências
Anfetaminas Substâncias sintéticas obtidas em laboratório. Metanfetamina, "ice", "bolinha", "rebite", "boleta".

Moderex, Hipofagin,

Inibex, Desobesi, Reactivan, Pervertin, Preludin..

Estimulam atividade física e mental, causando inibição do sono e diminuição do cansaço e da fome. <td vAlign="top" width="133" Podem causar taquicardia (aumento dos batimentos do coração), aumento da pressão sangüínea, insônia, ansiedade e agressividade.

Em doses altas podem aparecer distúrbios psicológicos graves como paranóia (sensação de ser perseguido) e alucinações. Alguns casos evoluem para complicações cardíacas e circulatórias (derrame cerebral e infarto do miocárdio), convulsões e coma.

O uso prolongado pode levar à destruição de tecido cerebral.

Cocaína Substância extraída da folha de coca, planta encontrada na América do Sul. "Pó", "brilho", "crack", "merla", pasta-base. Sensação de poder, excitação e euforia. Estimulam a atividade física e mental, causando inibição do sono e diminuição do cansaço e da fome. O usuário vê o mundo mais brilhante, com mais intensidade. Pode causar taquicardia, febre, pupilas dilatadas, suor excessivo e aumento da pressão sangüínea.

Podem aparecer insônia, ansiedade, paranóia, sensação de medo ou pânico.

Pode haver irritabilidade e liberação da agressividade.

Em alguns, casos podem aparecer complicações cardíacas, circulatórias e cerebrais (derrame cerebral e infarto do miocárdio).

O uso prolongado pode levar à destruição de tecido cerebral.

Tabaco (nicotina) Extraído da folha do fumo. Cigarro, charuto e fumo. Estimulante, sensação de prazer. Reduz o apetite, podendo levar a estados crônicos de anemia.

O uso prolongado causa problemas circulatórios, cardíacos e pulmonares.

O hábito de fumar está freqüentemente associado a câncer de pulmão, bexiga e próstata, entre outros.

Aumenta o risco de aborto e de parto prematuro. Mulheres que fumam durante a gravidez têm, em geral, filhos com peso abaixo do normal.

Drogas que produzem distorções da percepção

Substância

Origem

Conhecida como

Possíveis efeitos

Possíveis conseqüências
Maconha
(tetraidrocanabinol)
Substância extraída da planta Cannabis sativa. Maconha, haxixe, "baseado", "fininho", "marrom". Excitação seguida de relaxamento, euforia, problemas com o tempo e o espaço, falar em demasia e fome intensa. Palidez, taquicardia, olhos avermelhados, pupilas dilatadas e boca seca. Prejuízo da atenção e da memória para fatos recentes; algumas pessoas podem apresentar alucinações, sobretudo visuais.

Diminuição dos reflexos, aumentando o risco de acidentes

Em altas doses, pode haver ansiedade intensa; pânico; quadros psicológicos graves (paranóia).

O uso contínuo prolongado pode levar a uma síndrome amotivacional (desânimo generalizado).

Alucinógenos Substâncias extraídas de plantas ou produzidas em laboratório. LSD (ácido lisérgico, "ácido", "selo", "microponto"),

PCP

psilocibina (extraída de cogumelos) e
mescalina (extraída de cactos).

Efeitos semelhantes aos da maconha, porém mais intensos.

Alucinações, delírios, percepção deformada de sons, images e do tato.

Podem ocorrer "más viagens", com ansiedade, pânico ou delírios.
Ecstasy (metileno-dióxi-
metanfetamina)
Substância sintética do tipo anfetamina, que produz alucinações. MDMA, "êxtase", "pílula do amor". Sensação de bem-estar, plenitude e leveza. Aguçamento dos sentidos.

Aumento da disposição e resistência física, podendo levar à exaustão.

Alucinações, percepção distorcida de sons e images.

Aumento de temperatura e desidratação, podendo levar à morte.

Com o uso repetido, tendem a desaparecer as sensações agradáveis, que podem ser substituídas por ansiedade, sensação de medo, pânico e delírios.

tratamento-internacao-dependencia